Ads 468x60px

.

.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

OSCAR 2019 - INDICADOS



MELHOR FILME
Pantera Negra
Green Book - O Guia
Infiltrado na Klan
Roma
Bohemian Rhapsody
Nasce uma Estrela
Vice
A Favorita


MELHOR DIRETOR
Spike Lee, por Infiltrado na Klan
Alfonso Cuaron, por  Roma
Yorgos Lanthimos, por A Favorita
Adam Mckay, por Vice
Pawel Pawlikowski, por Cold War


MELHOR ATOR
Rami Malek, por Bohemian Rhapsody
Viggo Mortensen, por Green Book - O Guia
Willem Dafoe, por No Portal da Eternidade
Christian Bale, por Vice
Bradley Cooper, por Nasce uma Estrela


MELHOR ATRIZ
Lady Gaga, por Nasce uma Estrela
Glenn Close, por A Esposa
Olivia Colman, por A Favorita
Melissa McCarthy, por Poderia me Perdoar?
Yalitza Aparicio, por Roma


MELHOR ATOR COADJUVANTE
Mahershala Ali, por Green Book - O Guia
Richard E. Grant, por Poderia me Perdoar?
Sam Rockwell, por Vice
Sam Elliot, por Nasce uma Estrela
Adam Driver, por Infiltrado na Klan


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Emma Stone, por A Favorita
Rachel Weisz, por A Favorita
Regina King, por Se a Rua Beale Falasse
Marina de Tavira, por Roma
Amy Adams, por Vice


MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
A Favorita
No Coração da Escuridão
Green Book - O Guia
Roma
Vice


MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Nasce uma Estrela
Se a Rua Beale Falasse
Poderia me Perdoar?
Infiltrado na Klan
The Ballad of Busters Scruggs


MELHOR TRILHA SONORA
Pantera Negra
Infiltrado na Klan
Se a Rua Beale Falasse
Ilha dos Cachorros
O Retorno de Mary Poppins


MELHOR CANÇÃO
"All the Stars", por Pantera Negra
"Shallow", por Nasce uma Estrela
I'll Fight, por RGB
"The Place Where Lost Things Go", por O Retorno de Mary Poppins
"When a Cowboy Trades His Spurs for Wings", por The Ballad of Busters Scruggs


MELHOR ANIMAÇÃO
Os Incríveis 2
Ilha dos Cachorros
WiFi Ralph
Homem-Aranha no Aranha-Verso
Mirai


MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Cold War (Polônia)
Roma (México)
Cafarnaum (Líbano)
Never Look Away (Alemanha)
Shoplifters (Japão)


MELHOR DOCUMENTÁRIO
Free Solo
RGB
Minding the Gap
Of Fathers and Sons
Hale County This Morning, This Evening


MELHOR DOCUMENTÁRIO/CURTA
Black Sheep
End Game
Lifeboat
A Night at the Garden
Period. End of Sentence


MELHOR ANIMAÇÃO/CURTA
Animal Behaviour
Bao
Late Afternoon
One Small Step
Weekends


MELHOR CURTA METRAGEM
Detainment
Fauve
Marguerite
Mother
Skin


MELHOR FOTOGRAFIA
Cold War
A Favorita
Never Look Away
Roma
Nasce uma Estrela


MELHOR MONTAGEM
Infiltrado na Klan
Bohemian Rhapsody
A Favorita
Green Book - O Guia
Vice


MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Pantera Negra
A Favorita
Primeiro Homem
O Retorno de Mary Poppins
Roma


MELHOR FIGURINO
The Ballad of Buster Scruggs
Pantera Negra
A Favorita
O Retorno de Mary Poppins
Duas Rainhas


MELHOR MAQUIAGEM
Border
Duas Rainhas
Vice


MELHOR EFEITOS VISUAIS
Os Vingadores - Guerra Infinita
Primeiro Homem
Jogador número 1
Christoper Robin - Um Reencontro Inesquecível
Han Solo - Uma História Star Wars


MELHOR EFEITOS SONOROS
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
Primeiro Homem
Nasce uma Estrela
Roma


MELHOR EDIÇÃO DE SOM
Pantera Negra
Bohemian Rhapsody
Primeiro Homem
Um Lugar Silencioso
Roma




quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

BOY ERASED - UMA VERDADE ANULADA


BOY ERASED – UMA VERDADE ANULADA
DIREÇÃO: Joel Edgerton
ELENCO: Lucas Hedges, Nicole Kidman, Russell Crowe e Joel Edgerton


No interior dos Estados Unidos, Garrard é um jovem, que vem de uma família religiosa, sendo que seu pai é pastor, mas se vê confrontado pela mesma pelo fato de ser homossexual. Forçadamente, ele luta para deixar a opção sexual que todos a sua volta chamam de doença, ao mesmo tempo em que tenta fazer valer sua real personalidade.


Em uma carreira como ator de mais de 70 créditos, o australiano Joel Edgerton, enxergando em si a capacidade e a experiência suficientes para desbravar novos rumos na sétima arte, adapta a autobiografia Boy Erased – A Memoir, de Garrard Conley, e assina, além do roteiro, direção e produção do filme Boy Erased – Uma Verdade Anulada, trazendo consigo os compatriotas e vencedores do Oscar Nicole Kidman e Russell Crowe para co-estrelarem esse forte drama ao lado do jovem promissor Lucas Hedges (que já tem uma indicação ao Oscar no currículo), que, como é filho do cineasta Peter Hedges, viu imagens reais suas quando criança, abrilhantando o prólogo da obra, no qual foi inevitável eu me lembrar de Querido Menino, que vi e escrevi sobre há pouco tempo, em que enfatizei que ninguém sabe o dia de amanhã, muito menos numa relação entre pai e filho.

Em um ambiente claramente o menos tolerante possível para no mínimo se discutir sexualidade, o filme encontra ao focalizar o semblante de cada membro da família protagonista, o terror que é buscar a coragem de encarar qualquer um, mesmo quando ser gay é só uma natural dúvida na cabeça de um adolescente. Sem economia no ato de escancarar um dos fatos que mais deixa indignado um LGBT+ ou defensor da causa, Edgerton apresenta e estrutura uma clínica de terapia que visa a “cura gay”, mostrando a naturalidade com que muitos fundamentalistas tratam o ato de se buscar o abandono da homossexualidade, ao passo que eles usam de um repudiante tratamento de choque, embasado por teorias que demonizam a prática mais do que qualquer crime que um sujeito, independente de opção sexual, é capaz de cometer.

Já atingindo um ápice de horror real, dando uma amostra do que é ser uma minoria em qualquer lugar do mundo, Boy Erased – Uma Verdade Anulada destoa necessariamente da intenção de ser ousado e inovador, e segue seu rumo em clichês que jamais perderão validade na maneira com que muitos seres julgam o estilo de vida de outrem, como o tipo de esporte que uma pessoa pratica ou assiste, que deve, na visão de muitos, estar associado a ser homem ou mulher, e o desvio disso é tratado para ser revertido tal qual os alcoólicos anônimos ou uma clínica de desintoxicação trabalha. Tudo isso acontece em meio a lembrança de que o filme é baseado em uma história real, onde um ser humano, diante desse caos, viu o seu psicológico tornar-se tão frágil quanto o seu físico.

Numa luta silenciosa sem saber para o quê, Boy Erased – Uma Verdade Anulada é um grito de socorro até numa reação violenta à uma imagem de um modelo na rua, onde o desgaste com o sofrimento da terapia mostrou que vale a pena ser honesto consigo mesmo e posteriormente com a família, que apesar do clima sombrio que pairava sobre o tormento, o jovem, espetacularmente interpretado por Lucas Hedges, encontra em sua mãe (a perfeita Nicole Kidman), a mulher que, entre risos e lágrimas, roga a Deus para que o filho seja aquilo que ela espera, mas sabe como ninguém ser a primeira a aceita-lo, mostrando que o amor de mãe é o primeiro, maior e melhor refúgio diante de qualquer coisa.

O extremo radicalismo religioso não é páreo para que Garrard se entregue a forma de amor em que ele acredita, e a palavra reação é executada da mais primordial maneira. Enaltecendo a felicidade acima de tudo, Boy Erased – Uma Verdade Anulada, com belas canções originais, talvez nos dê mais a lembrança do seu excelente elenco do que o próprio filme em si, mas acima de tudo nos apresenta uma forte história de um verdadeiro campeão na vida, que é um espelho para aqueles que clamam e vão ao combate pela resistência.